21 julho 2011

O bafômetro químico

Por ocasião de uma visita à Fazenda do Coronel no Cristalino, o Zé-Ronaldo, o Zermano, eu e o primo Napoleão trocávamos algumas idéias regadas com uma boa pinga do cariri e de repente o caseiro José lançou a seguinte pergunta: “Coronel, o que é o bafômetro químico”?
“Bem, José, eu acho que aqui no Cristalino você nem precisa se preocupar com bafômetro, mas em todo caso vou lhe explicar: bafômetro é um equipamento utilizado por policiais para verificar o nível de álcool etílico (etanol) presente no ar exalado dos pulmões de motoristas. O teste com o bafômetro químico é baseado na mudança de cor que ocorre devido à reação do álcool com um reagente específico, mas dessa reação quem entende é o Mano”.
“Então você pode me explicar como funciona essa máquina”? Novamente intervém o caseiro José.
Bem José, existe no bafômetro um recipiente com uma solução aquosa concentrada de dicromato de potássio (que é alaranjado) misturado com ácido sulfúrico e se existir álcool etílico no ar exalado dos pulmões de motoristas, o bafômetro muda de cor, de alaranjado para tons de verde, pois ocorre a oxidação do etanol e redução do Cr6+, produzindo ácido acético e sulfato de Cr3+.
Nesse instante o Zermano interveio e disse, “Dr. Manim, vamos esmiuçar essa questão: explique no papel a reação que ocorre no bafômetro, para um teste positivo de etanol no sangue”. Eu concordei, mas enquanto o Zé-Ronaldo providenciava papel e caneta, o Napoleão se adiantou com as seguintes informações sobre os índices de etanol no sangue e respectivos sintomas:
Etanol no sangue (gramas/litro)
Sintomas
0,1 a 0,5
Nenhuma influência aparente.
0,3 a 1,2
Perda de eficiência, diminuição da  atenção, de julgamento e de controle.
0,9 a 2,5
Instabilidade das emoções e falta de coordenação muscular. Menor inibição e perda do julgamento crítico.
1,8 a 3,0
Vertigens, desequilíbrio, dificuldade na fala e distúrbios da sensação.
2,7 a 4,0
Apatia e inércia geral. Vômitos, incontinência urinária e fezes.
3,5 a 5,0
Inconsciência, anestesia. 
Acima de 5
Parada respiratória e
Morte






O Zé-Ronaldo retornou da sua camionete cabine-dupla e além de papel e caneta trouxe também um bafômetro descartável, fez o teste no José e mostrou o resultado para nós: o bafômetro estava verde intenso o que acusava elevado índice alcoólico no sangue do caseiro! Mas tudo bem, não havia problemas e o Zermano acompanhou a minha explicação, pois a essa altura eu também já estava “prá lá de Bagdá”. Zermano aqui está a equação para a reação química:

2K2Cr2O7 + 3CH3CH2OH + 8H2SO4→ 2Cr2(SO4)3 + 2K2SO4 + 3CH3COOH +11H2O     
 (alaranjado)                                                  (verde)  
        
E o Zermano concluiu: “veja bem José, na ausência de etanol não ocorreria a reação, a cor no bafômetro permaneceria alaranjada, mas na presença de álcool etílico ocorre a reação e o bafômetro se torna em tons de verde”.  
Marcos, 05/07/2011.
PS. Nem eu nem o Napoleão tomamos pinga! 
Postar um comentário