22 maio 2010

SERTÃO, SERTÕES

Sertão, sertões, vários há, basta senti-los: há o sertão dos que não foram e o daqueles que regressaram,
atraídos pela saudade do luar, do cheirinho da terra, da brisa amena da noite; há o sertão da macambira, do xique-xique, do mandacaru, plantas espinho/flor que acariciam agrestinamente o coração grande do sertanejo; há o sertão que contradiz e desmitifica a crueldade que alguns erroneamente enxergam habitar solitária no meio da mata rala: este, o sertão da alegria, do povo feliz, que vai ao forró e dança até que a lua, cansada, ceda seu lugar ao sol. Este, o sertão que sinto, múltiplo, plural e singular, não apenas bonito, sobretudo belo.
Xico Bizerra
Postar um comentário