22 maio 2010

A VIDA E O TEMPO
Vida não dá pra medir
Com mera subtração
Eu não sei quanto vivi
Essa é minha opinião.
Não dá pra medir alegria
Quantificar emoção
Misturar cronologia
Com sentimento ou paixão.

Vinte anos de tristeza
Outro tanto de alegria
Tinta e cinco de dureza
Quarenta de rebeldia.

Trabalhei setenta anos
Ja li muita papelada
Estudei fiz muitos planos
Hoje sei que não sei nada.
Não sei se devo ou me devem
Nem quero essa conta fazer
Pois unidos todos crescem
Mais importa ser, que ter.

Não sou eu quem faz as contas
Dos dons e defeitos meus
Pois amigo, ao que me consta,
Contador de vida é Deus.
Eu não sei quanto vivi
Mas espero sem temor
No que falta pra partir,
Haja cem anos de amor.


José Hermano Bezerra de Brito
Postar um comentário