13 setembro 2013

MEUS AVÓS.

Ela sentada na cadeira, a mão enrolada no terço, mexendo as pernas: inquieta como de costume.
A vos dela é aguda, a dele, grave, mansa.
Ela reza “Ave Maria, cheia de graça” e ele completa com  “Santa Maria, Mãe de Deus”  e assim passam-se terços e rosários toda noite.
Naquela mesma casa onde cresceram as filhas, onde os netos saboreiam as férias.
Naquela mesma casa, cidade de Barbalha  que se enche de muriçocas e um cheiro de rapadura reina,nos meses de junho de cada ano.
Na mesma Barbalha, garças pousam perto do quase falido rio Salamanca e repousam num cenário tão belo que só Deus poderia imaginar.
Todo dia ele escuta o rádio colado ao ouvido, na Rádio Educadora do Cariri
Todo dia ela vai à missa, anda apressada, canta.
Não há tempo que mude os sapatos dele no lugar, alinhados no banheiro.
Não há rotina que mude o gosto das mangas que caem no telhado.
Assim também, não há cansaço que sufoque um amor que floresceu em quase 50 anos de casados.
Eu, quando envelhecer, não quero um amor de novela, cheio de exagero, mentiras e ciúmes.
Não quero uma paixão de poucas horas ou semanas.
Não quero um romance que se desgaste na correria da vida.
Eu quero um amor de rede, de radinho no ouvido.
Quero um amor de “Café Três Corações”, histórias cômicas pra contar pros  netos.
Quero um amor com balas de café quase eternas, com suco de laranja antes de dormir, com tapioca no café da manhã.
Eu quero um amor com um piano desafinado, cercado por fotografias de família.
Quero um amor de cafuné na cabeça e massagem no pé.
E é por isso que, nesse dia dos namorados, parabenizo meus avós, NAPOLEÃO e SOCORRO que decidiram transformar um ELE E ELA em um ELES bem mais bonito.
Barbalha, 12.6.2013.
BEATRIZ NEVES COELHO.

           (15 Anos.)
Neta de Napoleão Tavares Neves ( Veja Quem é Quem nas páginas deste Blog)
Postar um comentário