09 agosto 2011

Memórias de Infância

Briga de galos
Vamos lá Abdias, você diz que tem um galo bom de briga, mas quero ver se ele agüenta o repuxo de um galo Bola de Ouro! O bicho é forte, pesado e o negócio é o seguinte: vamos deixar os galos brigar até morrer, topa? Sim, mas como vamos fazer? Desta vez vamos pegar o galo lá em casa e depois trazemos para o terreiro do teu galo, mas precisa ser com muita calma e cautela, pois Badé não pode ver, nem saber dessa briga de galos! Saímos-nos bem, mas não foi fácil, esperamos a hora certa, pegamos o Bola de Ouro, fomos com ele até a casa do amigo Abdias e sabíamos que tínhamos pouco tempo, pois com certeza Badé iria sentir a falta do galo, pois ele era o dono do terreiro lá de casa. Chegando lá, eu vi que se tratava de um galo Inglês, ainda novo, mas como o nosso galo era velho, com esporões de uns cinco centímetros, eu estava certo que ganharia a aposta!
Solto o Bola de Ouro, esse logo partiu para cima do Inglês, deu-lhe umas três bordoadas e saiu em disparada para casa! O pior de tudo foi que o Inglês seguiu o nosso galo e nesse momento eu tive medo! Chegando em casa, foi uma confusão só, outros galos se meteram na briga, as galinhas ficaram nervosas e Badé apareceu dizendo enfaticamente: “Marco, o que você anda fazendo com o galo de Tânia?” “Tirem esse galo estranho daqui”! Pegamos o galo Inglês e o levamos de volta para a casa do Abdias.
Nessa época se encontrava em Pilões o Sr. Guabiraba, o homem do dinheiro, vindo de Fortaleza para o pagamento mensal dos funcionários do Posto Agrícola de Pilões e ele, justo nesse dia, foi almoçar lá em casa. Durante o almoço eu chamei Badé e perguntei: esse é o galo de Tânia ou é pato? Badé respondeu: “Marcos, você se comporte” e papai comentou: “não, Mano, é carne de frango”. Badé me chamou para a cozinha e disse: “Tânia não pode saber que esse era o galo dela e você trate de ficar calado e de almoçar”. Eu retornei a mesa, mas mamãe
perguntou: “Marcos, você quer um pouco mais de suco de graviola?” Eu respondi: Não, eu quero é mais um pedaço do galo de Tânia!
Dr. Manim
02/06/2011
Postar um comentário