26 maio 2010

Numa noite estrelada de julho de 2006, lá na Serra da Guritiba – Chapada do Araripe, bem em frente a casinha de Dau e Deta, estavam observando o céu embaixo dos pés de Timbauba completamente sem folhagem; pareciam ornamentado com uma estrela em cada estremidade de galho, quando o Zermano fez uma observação a Xico. Veja, parece um pé de estrelas.Daí o poeta fincou no mote e fez estes lindos versos:


Plantei sementes de amor
Brotou um pé de estrelas
E hoje se quero tê-las
Olho pro jardim do céu
E se a noite com o seu véu
A luz da lua escurece
Faço aos anjos uma u`a prece
E as tenho bem perto de mim

São estrelas maduras
Parindo outras estrelas
Algumas tão pequeninas
São meninos e meninas
Brilha a estrela João
Reluz a estrela Mariana
Vejo todas, vejo tantas
E não me canso de vê-las.
Postar um comentário